Pele fina X pele grossa em Rinoplastia

A pele do seu nariz é grossa ou fina? A espessura da pele influencia os resultados da Rinoplastia e é avaliada pelo cirurgião já na primeira consulta.

A espessura da pele influencia a Rinoplastia?
A Rinoplastia visa modificar o contorno do esqueleto ósteo-cartilaginoso abaixo da pele. No entanto, acima desse esqueleto repousam a musculatura, o tecido de gordura e a pele. O novo formato depende desse envelope que recobre a arquitetura nasal. A espessura da pele do nariz guarda, portanto, uma relação direta com a recuperação cirúrgica.

Quanto mais fina a pele, menor o tempo de inchaço (edema) quando comparado a quem tem pele espessa. A Rinoplastia, a secundária ainda mais do que a primária, terá mais dificuldade em apresentar o mesmo resultado em pacientes com pele grossa. Isso se deve ao fato de que quanto maior a espessura da pele, menor será a contração da pele sobre a nova arquitetura criada no nariz.

Pele grossa na Rinoplastia
Portanto, por mais que todas as técnicas corretas sejam utilizadas pelo cirurgião, muitas vezes o trabalho realizado por ele não fica aparente. Além de o inchaço ficar muito maior em pacientes com pele grossa, a demora em atingir o resultado também é muito maior. Em contraste com o nariz de pele fina, a pele nasal espessa esconde as imperfeições mais óbvias do esqueleto nasal subjacente.

Pacientes com pele naturalmente espessa, sebáceas, acne ou história prévia de cicatriz/formação de quelóide hipertrófica correm maior risco de cicatrizes indesejáveis. A pele nasal extremamente grossa é frequentemente considerada como um dos obstáculos mais difíceis, e por vezes insuperáveis, em Rinoplastia estética.

Outro fator desfavorável ocorre quando, além da pele grossa e pesada, o paciente apresente cartilagens frágeis. Um quadro assim dificulta a criação de uma ponta definida e predispõe à queda da ponta pelo peso. Esses fatores têm de ser reconhecidos no pré-operatório.

Inchaço e recuperação
Em pacientes de pele grossa, o inchaço cirúrgico requer pelo menos 12 a 18 meses para a resolução completa. Por causa do inchaço e distorção prolongados, o verdadeiro impacto de uma Rinoplastia estética geralmente não é evidente por pelo menos um ano. Os atrasos são ainda maiores para pacientes submetidos à cirurgia de revisão ou para aqueles com história de inflamação nasal prévia decorrente de acne, rinite alérgica ou lesão nasal anterior.

Além disso, eles são propensos a espessamento fibrótico anormal dos tecidos subcutâneos, especialmente se tiverem pele oleosa. Nesse subgrupo de pacientes, melhorias cirúrgicas do contorno nasal são poucas. Mas esteróides injetáveis ​​podem reduzir ou mesmo prevenir a fibrose subcutânea.

Pele fina em Rinoplastia
Por outro lado, pacientes com pele fina têm mais facilidade em tornar visíveis e/ou palpáveis os enxertos utilizados, assim como o remodelamento realizado no nariz. A pele fina, porém, é também mais propensa à formação de vermelhidão e equimoses. A pele de espessamento média, portanto, é a considerada a ideal.

Voltar