Septoplastia - Cirurgia nasal funcional

A septoplastia com ou sem turbinectomia (cirurgia dos cornetos nasais) é uma das cirurgias mais frequentemente realizadas na otorrinolaringologia. O grande medo que costuma assombrar quem se submete a essa cirurgia é o uso do tampão nasal. Mas a Dra. Cynthia não usa o tampão, o que possibilita maior conforto ao paciente no pós-operatório. Com a correção do desvio septal e abordagem nos cornetos, obtém-se uma respiração mais fácil e mais qualidade de vida, pois há melhora do sono e da obstrução nasal.

O septo nasal é a estrutura osteocartilaginosa que separa a cavidade nasal. Ele é composto pelo osso etmóide, vômer e cartilagem quadrangular. Aproximadamente 80% da população apresenta desvio do septo nasal. Isso ocorre devido à variação individual anatômica ou a trauma nasal prévio.

Embora muitas vezes assintomático, em algumas situações o desvio, mesmo que pequeno, pode afetar a respiração ou mesmo bloquear a drenagem dos seios da face em direção ao nariz, causando sinusite. Sintomas comuns de desvio de septo incluem: dificuldade para respirar por um lado do nariz, sangramento nasal, dor facial, dor de cabeça, obstrução de uma ou duas narinas, respiração com barulho e congestão nasal, entre outros.

DEVO ME SUBMETER À CIRURGIA NASAL?
Procure perceber os seguintes fatores: respiração bucal na maior parte do tempo, mesmo com tratamento clínico; respiração nasal comprometida, mesmo sem estar resfriado; cefaléia; sinusite recorrente; distúrbios do sono; amigdalite ou faringite recorrente. Esses são sinais de que algo está errado e de que você deve consultar um otorrinolaringologista para avaliação da necessidade de cirurgia.

Voltar